Com mais de 60% dos alunos sem acesso ao EaD, ENEM ainda está previsto para novembro

Redação IBEGESP

18 maio 2020

Nenhum comentário

Casa Notícias

Com mais de 60% dos alunos sem acesso ao EaD, ENEM ainda está previsto para novembro

Com mais de 60% dos alunos sem acesso ao EaD, ENEM ainda está previsto para novembro

Entidades educacionais, senadores e reitores das federais exigem remanejamento do calendário

 

­

A definição de um novo calendário para o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) é um tema que vem ganhando cada vez mais destaque nas últimas semanas. Isto porque a aplicação da prova ainda está prevista para novembro de 2020, apesar de mais de 60% dos alunos brasileiros não possuírem acesso  ao ensino à distância e ser difícil garantir que haverá condições sanitárias para a realização do exame.
­
Diante deste cenário, reitores de 63 universidades federais veicularam uma carta na última semana, 14/05, na qual reforçaram a necessidade de um novo calendário. A carta menciona a impossibilidade de concorrência democrática, tendo em vista o acirramento da desigualdade do acesso ao ensino, e a impossibilidade de segurança sanitária. 
­
Outras 38 entidades educacionais também lançaram um manifesto pedindo o adiamento do ENEM, que até o momento possui 2,8 milhões de inscritos. Vale ressaltar que o Tribunal de Contas da União já emitiu parecer favorável para a mudança do cronograma e que os gestores educacionais têm criticado o MEC por falta de orientações.
­
As manifestações a favor do remanejamento de datas também tomaram o Senado Federal. Alguns senadores destacaram o fato de que apenas 36% dos alunos do ensino básico brasileiro possuem acesso à internet e que a maioria dos estados ainda não conseguiu implantar o ensino à distância. Diante disto, os Projetos de Lei nº 1.277/2020 e 218/2020 buscam, respectivamente, a prorrogação automática do prazo das provas e a invalidação dos editais.
­
É possível ver que esta discussão possui grande relação à diversidade no acesso ao ensino e que o protagonismo dos gestores educacionais será vital para os próximos encaminhamentos. 
­
O que você, gestor público, acha disso? Comente!
­
Fonte: Redação IBEGESP
Fonte Complementar: GOV.BR
Tags :