Generic selectors
Resultados que batem 100%
Buscar no título
Buscar no conteúdo
Buscar nos posts
Buscar nas páginas

Redação IBEGESP

05 fevereiro 2019

Nenhum comentário

Casa Notícias

Startup seleciona os melhores profissionais para a gestão pública

Startup seleciona os melhores profissionais para a gestão pública

Atrair, selecionar e desenvolver talentos para trabalhar nos governos municipais e estaduais do País. Essa é a expertise da startup Vetor Brasil, empresa que integra o inovabra habitat, ecossistema criado pelo Bradesco para promover a coinovação e gerar mudanças positivas no mercado.

“Temos como missão criar uma rede engajada e diversa que potencializa a gestão pública no Brasil. Acreditamos que é por meio de pessoas que faremos transformações em escala. Por isso, buscamos profissionais capacitados e prontos para os desafios dos nossos governos”, afirma Lara Barreto, diretora de tecnologia do Vetor Brasil.

 

A empresa divide seus processos em duas categorias distintas: trainees e líderes. A primeira delas conta com duas seleções anuais baseadas estritamente em competências. Cada candidato precisa passar por cinco etapas, que compreendem testes online, conversa em vídeo e desafios focados na vaga em questão para aí se tornar finalista.

“Após mapear todas as competências, cadastramos a pessoa avaliada no nosso sistema. Lá, traçamos a compatibilidade de suas capacidades em relação as vagas que já prospectamos na gestão pública. E assim o indicamos. É o governo que faz a entrevista final”, explica Lara, salientando que é o governo que define o instrumento que utilizará para cada contratação.

“A maioria dos trainees de gestão pública é contratada por meio de cargos de livre provimento (conhecidos como cargos em comissão). Outros instrumentos podem ser propostos pelos governos e são avaliados pela equipe jurídica do Vetor Brasil”, complementa ela, afirmando que atualmente não existe um modelo de seleção profissional que oriente a ocupação de cargos em comissão.

 

Os governos podem escolher profissionais para ocupar essas posições de acordo com os critérios que definirem, incluindo a realização ou não de processos seletivos. Dessa forma, o Vetor Brasil oferece apoio aos gestores interessados em compor suas equipes com profissionais de alto desempenho através de processos de seleção baseados em competências.

 

No caso do programa de líderes, que busca profissionais para cargos de alta gestão, esse processo é construído de forma personalizada, dependendo da vaga e de acordo com a demanda do governo.

“Prospectamos os dois tipos de vaga. Mas para a de líder, além de divulgar, também buscamos por profissionais do mercado”, revela a diretora, ressaltando que hoje a startup contabiliza mais de 50 mil inscrições presentes nas 27 unidades federativas. “Desde 2015, já alocamos mais de 300 trainees de gestão pública, atendendo 120 órgãos governamentais diferentes (entre secretarias estaduais e municipais, consórcios e empresas públicas, entre outros)”.

“Estar presente nesses órgãos é resultado do esforço da busca ativa por gestores públicos que demonstram interesse em selecionar profissionais para suas equipes de forma profissional. Realizamos visitas in loco para apresentar nossas atividades e atendemos governos que procuram o Vetor Brasil depois de terem conhecido nossa atuação através de outros governos parceiros, organizações do terceiro setor ou na imprensa”, afirma Lara.

 

Questionada sobre o uso de API, a diretora de tecnologia explica que ela é responsável por realizar o pareamento entre candidatos e vagas nos governos. “A API recebe as informações que colhemos sobre os candidatos ao longo do nosso processo seletivo e faz o matching com as vagas que foram mapeadas pelos governos. Desenvolvemos a inteligência de pesos e cálculos para que o pareamento seja o mais objetivo e assertivo possível”.

 

Para ela, a importância em estar num ambiente como o do inovabra habitat está na possibilidade de troca constante de conhecimento com outras startups. “Aqui tivemos a oportunidade de conhecer diversas organizações e iniciativas bacanas e também de nos aproximar ainda mais de outras organizações que já conhecíamos antes, como a Ensina Brasil”, contextualiza.

“A parceria firmada com o Ensina Brasil possibilita que as candidatas e candidatos que participam do processo seletivo dos dois programa possam, após serem aprovados(as), escolher qual programa pretende participar primeiro. Após sua experiência, participar novamente do processo seletivo do outro programa com condições diferenciadas”, exemplifica Lara.

 

A API, tecnologia usada pelo Vetor Brasil, é um dos eixos do inovabra habitat, espaço de coinovação do Bradesco. Os demais pilares tecnológicos do local são big data, blockchain, inteligência artificial, computação imersiva e internet das coisas (IoT).

 

 

Fonte: O Globo